Tipo: CURA E INCORRUPÇÃO

Santo:Santa Madre Cabrini Data:14 de março de 1921 Local:Hospital Columbus, de Nova York - EUA

Título :Transplante de olhos feito por Deus

"Uma freira, Missionária do Sagrado Coração de Jesus, como enfermeira num Hospital, colocou num recém-nascido um remédio errado causando-lhe a cegueira. Os médicos nada puderam fazer."
"A referida freira começou uma novena a Santa Francisca Xavier Cabrini, fundadora da mesma Congregação, e os médicos constataram que os olhos do garoto estavam perfeitos, mas que não eram dele! Eram verdes e não tinham os caracteres dos pais do garoto!"
"Chamaram a freira e perguntaram-lhe o que havia acontecido, e ela falou da novena a Santa Francisca."
"Depois de 50 anos da morte da santa, desenterraram-na e seu corpo estava intacto, faltando-lhe apenas os olhos, que não estavam na cavidade ocular. Verificaram que os olhos do referido menimo eram os da santa. O rapaz na ocasião já era formado de Medicina, mas da data do seu nascimento até o desenterramento da Santa haviam decorrido vinte e oito anos".

A SEGUIR CONETÁRIOS DO PE. QUEVEDO EM SEU LIVRO OS MILAGRES E A CIÊNCIA:

*** Pergunta: "Foi um transplante de olhos feito por Deus?"
- Resposta: a pergunta parece simples, mas implica muitos aspectos, O conjunto é precisamente o que sistematicamente estamos abordando nos seis volumes desta coleção.
Que foi transplante é evidente, dado que os médicos verificaram que se deu sumiço dos olhos do menino e que foram substitruídos pelos olhos da santa.
Que foi milagre também é evidente. Uma coletânea de milagres. Milagre na cura da cegueira naturalmente irreparável do menino. Milagre na desaparição dos olhos do bebê. Milagre na incorrupção de Santa Francisca Xavier Cabrini. Milagre na revitalização dos olhos da santa, incorruptos mas completamente mortos após mais de vinte anos de enterrados. Milagre na implantação dos olhos revitalizados. E milagre na não-rejeição... E houve mais componentes deste complexo milagre, como logo veremos.
Não foi a santa que realizou o milagre. Não só a revitalização é exclusiva do Poder Infinito de Deus. Nenhuma outra força pode intervir no nosso mundo, o milagre é unicamente em ambiente religioso divino, o milagre é exclusivo de Deus, a assinatura infalsificável de Deus. Evidentemente, no caso, em honra e pela intercessão de Santa Francisca Xavier Cabrini.
A consulente não cita bibliografia. O caso é referido em quase todas as biografias da santa. Foi um dos milagres aprovados para a Beatificação da Madre Cabrini. Só me resta acrescentar alguns detalhes, servindo-me principalmente das atas do processo.
Foi no Hospital Columbus, de Nova York. A superiora e responsável pela direção geral do Hospital era a Madre Teresa Basigalupi. No processo a Madre Teresa omite o nome da Irmã encarregada da seção. O acidente aconteceu por volta do meio-dia de 14 de março de 1921. Assitiram ao parto o Dr. Michal Joseph Horan e a enfermeira Srta. Maria Redmond, que foi a que lavou os olhos do bebê com uma solução de nitrato de prata a 50 por cento, em vez de 1 por cento que seria o correto (uma gota de nitrato de prata a 5 por cento - e ao menino foi mais: a 50 por cento - perfura a madeira). O recém-nascido era Peter, filho primogênito do jovem casal Peter e Margaret Smith.
Quando uma hora mais tarde outra enfermeira, Srta. Sifert, acudiu apavorada pelo estado dos olhos do bebê, a Irmã responsável pela Seção compreendeu a tragédia que ocasionara ao fornecer por erro um vidro diferente do devido!
Acudiu o Dr. Paulo Casson. Os olhos do bebê estavam inflamados e pretos. Tão inchados que não se podiam abrir. Não teve dúvidas: o menino deveria morrer; e, se escapasse, certamente ficaria absolutamente cego.
Vendaram os olhos do bebê. Mas todos viam as faces avermelhadas, escuras. O interior do nariz e até os lábios viam-se queimaduras, e saía um líquido preto purulento. Queimadura de terceiro grau (queimadura de 1º: vermelhidão; de 2º grau: com bolhas; de 3º grau: com escaras, morte do tecido; 4º grau: carbonizado - as de 3º e 4º graus, se curadas, deixam inevitavelmente cicatrizes, que sendo nos olhos...).
Tosse frequente, respiração dificil, "pulsação tão fraca e tão rápida que não se podia contar, os tons cardíacos eram muito apagados, o ventre frouxo; pelo reto administrou-se ao bebê um pouco de água, dado que era impossível a alimentação oral". "O diagnóstico foi: inflamação pulmonar bilateral".
Temperatura retal, tomada a intervalos, das 13 as 20 horas, sempre 42,8 graus centígrados (tal temperatura pode aparecer em insolações, mas praticamente nunca em inflamações pulmonares, o que mostra a gravidade deste caso).
Às 21 horas o Dr. Horan voltou ao leito do bebê trazendo o especialista em oftalmologia Dr. Kearney, que só com ajuda de um instrumento próprio (Lindhbers) conseguiu abrir as pálpebras inchadas e coladas. A conjuntiva estava gravemente queimada. A córnea de ambos os olhos aparecia ensangüentada, e dos lugares queimados surgia uma secreção amarelo-acinzentada.
"Prognóstico: morte, e certamente em poucas horas" ( qualquer espécie de inflamação pulmonar em crianças desse tamanho é mortal quase em cem por cento dos casos).
As irmãs e as enfermeiras, nos horários em que não estivessem obrigadas a ficar junto aos doentes, reuniram-se na Capela e oraram durante toda a noite pedindo um milagre pela intercessão da Madre Fundadora, Francisca Xavier Cabrini. Sabiam que somente um milagre resolveria a situação do menino, do jovem casal e do próprio Hospital.
Chegou a manhã do dia 15. Pelas 9 horas o Dr. Horan voltou com o especialista Dr. Keaney, para ver se havia alguma possibilidade de atenuação do dano causado.E...
O Dr. Keaney não encontrou nada de errado no menino! Peter Smith "estava absolutamente bem"! "Não ficou traço algum de cicatriz apesar da queimadura profunda que houvera." Os Drs. Horan, Casson e Keaney "reconheceram espantados que se havia dado um milagre". "O menino deixou o hospital absolutamente curado e em estado normal."
***O leitor terá notado um detalhe..."picante". De todo o conjunto da desaparição dos olhos do cadáver incorrupto de Santa Francisca Xavier Cabrini e implantação nas órbitas do bebê Peter, fala-se nas biografias nem uma palavra no processo de canonização.
Os postulantes da beatificação queriam a aprovação de dois milagres. Um deles, complexo, era a liberação perfeita e instantânea da cegueira irreparável, da gravíssima doença e da morte eminente do recém-nascido Peter Smith, Para que complicar ainda mais com os outros milagres concomitantes - da substituição de olhos - perante um tribunal tão exigente como é o da Congregação dos Ritos? É lógico. E é muito bom que se tenha medo da severidade exigida pela Igreja ao julgar fatos milagrosos...
Na manhã de 7 de julho de 1946, Peter Smith, que já havia sido ordenado sacerdote na Igreja da "Mother Cabrini School" de Nova Iorque, assite à solene canonização de Santa Francisca Xavier Cabrini, por Pio XII. Estavam também presentes Paulo Pezzini e Ettore Pagetti, protagonistas das duas curas milagrosas aprovadas para a Canonização (as curas de Peter Smith e da religiosa Delfina Grazioli foram os milagres aprovados para a Beatificação).

Fonte:Os Milagres e a Ciência - Pe. Oscar G. Quevedo, SJ - pag. 341 - Edições Loyola - Ano 2000; Arquivos do CLAP, Seção "Fatos da Vida Real", item "Milagres de Efeitos Mistos", nº 71; Biografias da Santa: ONGARO, Guiseppe Dall, Francesca Cabrini, la suòra che conquistò l´America, Ed. Rusconi, 1982. GALILEA, Segundo, El Poder y la Fragilidad, Buenos Aires, Paulinas, 1992. BALANCIN, Euclídes Martins, O Poder e a Fragilidade, Vida de Santa Francisca Xavier Cabrini, São Paulo, Paulinas, 1994, pg. 251. ANÔNIMO, ("Por uma das suas filhas"), tradução de RODRIGUES, Ir. Lucia Victor, Santa Francisca Xavier Cabrini, Fundadora e Superiora Geral das Missionárias do Sagrado Coração de Jesus 2ª edição, São Paulo, Paulinas, 1993, pp. 393 s.; SACRA RITUUM. Op. Cit. "Positio super miraculis", 1938, pp 205-229 Ibedem, "Summarium Additionale", 1938, pp2-5. Para consultas dos processos, atas, positio, parecer dos peritos etc. cf. nota 15 do capítulo 3.